Sacrifícios Vivos

Sacrifícios Vivos

“Portanto, irmãos, rogo-lhes pelas misericórdias de Deus que se ofereçam em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus; este é o culto racional de vocês. Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente, para que sejam capazes de experimentar e comprovar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.” (Romanos 12:1-2)

Todos queremos conhecer a boa, agradável e perfeita vontade de Deus, mas há alguns prerrequisitos. O apóstolo Paulo começa Romanos 12:1 com três palavras importantes: “Portanto, irmãos, rogo-lhes…”

Onde quer que leiamos a palavra “portanto” na Bíblia, devemos descobrir por que ela está lá. Onde quer que encontremos essa palavra nas Escrituras, ela remete ao que foi dito antes. É, nesse sentido, uma conclusão: Assim, portanto, à luz de tudo o que acabei de dizer, eis o que vocês precisam saber…

Paulo estava remetendo ao que ele tinha dito nos 11 capítulos anteriores de Romanos. E essa mensagem é a de que somos todos pecadores, separados de um Deus santo, mas Deus nos ama e tem misericórdia de nós. E, apesar de nosso pecado, Ele nos perdoou. Então Paulo estava dizendo essencialmente: “Portanto, à luz de tudo isso, ofereçam-se em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus; este é o culto racional de vocês”.

A palavra “sacrifício” tende a nos lembrar das oferendas no Antigo Testamento que estavam mortas. Se um sacrifício estivesse vivo, acho que teria a tendência de se contorcer para fora do altar.

Do mesmo modo, às vezes damos algo a Deus e acabamos pegando de volta depois. Você já fez isso? Eu já. Já orei sobre algumas coisas e as entreguei a Deus. E então, pouco tempo depois, comecei a me preocupar de novo com elas.

A Bíblia nos diz que devemos nos oferecer a Deus — e isso inclui tudo, até mesmo as nossas mentes. Quer dizer que precisamos preencher nossas mentes com a verdade de Deus e não com a visão distorcida da nossa sociedade. Quer dizer que precisamos pensar mais em coisas de Deus.