De Deus Não se Zomba

De Deus Não se Zomba

“Não se deixem enganar: de Deus não se zomba. Pois o que o homem semear, isso também colherá.” (Gálatas 6:7)

A Bíblia nos diz que um dos sinais dos últimos dias é o das pessoas vão sair de seus caminhos para blasfemar contra Deus. As Escrituras revelam que essa será uma característica que distinguirá o anticristo: que blasfemará contra Deus. Mesmo quando o julgamento de Deus estiver caindo sobre aqueles que não creem durante a tribulação, o livro de Apocalipse 16:9 diz: “Estes foram queimados pelo forte calor e amaldiçoaram o nome de Deus, que tem domínio sobre estas pragas; contudo se recusaram a se arrepender e a glorificá-lo.”

Blasfêmia significa uma denúncia da rejeição consciente a Deus. É uma irreverência desafiadora, o pecado de falar o mal contra Deus intencionalmente e abertamente. Cometer esse pecado não significa uma simples descrença, mas uma descrença com determinação.

Um exemplo claro é o rei Belsazar da Babilônia. Certo dia ele promoveu um grande banquete e convidou a nobreza, esposas e concubinas. Então ele trouxe os objetos que foram roubados do templo de Jerusalém e que eram usados para adorar a Deus. Belsazar serviu vinho nestes objetos, brindando aos falsos deuses que eram adorados na Babilônia. Belsasar estava zombando de Deus, mas a Bíblia diz: “Não se deixem enganar: de Deus não se zomba. Pois o que o homem semear, isso também colherá” (Gálatas 6:7).

Dito e feito: quando Belsazar estava festejando, ele viu uma mão escrever na parede: “MENE, TEQUEL, PARSIM”. Estas palavras foram interpretadas pelo profeta Daniel como sendo: “Mene: Deus contou os dias do teu reinado e determinou o seu fim. Tequel: Foste pesado na balança e achado em falta. Peres: Teu reino foi dividido e entregue aos medos e persas.” (Daniel 5:26-28)

Belsazar foi pesado na balança da justiça de Deus e o seu peso era pequeno. Belsazar não tinha substância e naquela mesma noite ele perdeu a vida. Ele descobriu, da pior maneira possível, que de Deus não se zomba.


God Is Not Mocked

“Do not be deceived, God is not mocked; for whatever a man sows, that he will also reap”

Galatians 6:7

The Bible tells us that one of the signs of the last days is that people will go out of their way to blaspheme God. That will be a distinguishing characteristic of the Antichrist, whom the Scripture says will blaspheme God. Even as God’s judgment is falling on nonbelievers during the Tribulation, Revelation 16:9 says, “And men were scorched with great heat, and they blasphemed the name of God who has power over these plagues; and they did not repent and give Him glory.”

Blasphemy represents the conscious denouncing and rejection of God. It is a defiant irreverence, the sin of intentionally and openly speaking evil against God. To commit this sin does not merely represent unbelief, but determined unbelief.

A primary example is King Belshazzar of Babylon. One day, he held a big feast and invited his nobles, wives, and concubines. Then he brought in the objects that had been seized from the temple in Jerusalem and were used in the worship of God. Belshazzar served wine in them, toasting to the false gods they worshiped in Babylon. Belshazzar was mocking God. But the Bible says, “Do not be deceived, God is not mocked; for whatever a man sows, that he will also reap” (Galatians 6:7).

Sure enough, as Belshazzar was partying away, he saw a hand writing across the wall, “MENE, MENE, TEKEL, UPHARSIN,” which was interpreted by the prophet Daniel to say, “God has numbered your kingdom, and finished it; . . . You have been weighed in the balances, and found wanting; . . . Your kingdom has been divided, and given to the Medes and Persians” (Daniel 5:25–28).

Belshazzar was weighed on God’s divine scale, and he was a lightweight. Belshazzar had no substance, and that night he lost his life. He found out the hard way that God is not mocked.